Macro Fotografia – Usando lente invertida

12 11 2008

No Post de hoje vou mostrar como podemos fazer Macro usando uma lente colocada invertida em frente da lente do Kit da XTi, a 18-55mm.

Para isso vou utilizar uma lente 50mm antiga e depois uma lente Canon 50mm f1.8 atual.
Primeiro vejamos como fica a configuração com uma antiga lente Schneider que um amigo fotógrafo me deu de presente.
Olha ela aí do lado da 18-55mm

Pra usar é bem simples, basta posicionar a lente de maneira invertida na frente da 18-55mm que está na câmera, segurando com a mão mesmo.

Essa é a foto dos fósforos com a lente do Kit apenas.

E aqui o resultado com a 50mm antiga colocada em frente da lente do Kit.

Mais uma vez é possível notar a vinheta causada mas um simples Crop é suficiente para retirá-la.

Agora vamos testar a configuração usando a lente Canon 50mm f1.8 invertida em frente da 18-55mm.
Aqui está ela ao lado da lente do Kit.

A colocação em frente da câmera é feita da mesma maneira, segurando com a mão.

Novamente uma foto com a lente original do Kit.

E o resultado com a colocação da Canon 50mm f1.8 invertida em frente da lente 18-55mm.

Uma coisa que se percebe é a semelhança na ampliação das duas lentes, inclusive na vinheta gerada. A vantagem desse sistema é a possibilidade de se regular a abertura uma vez que a lente principal está conectada na câmera.
Caso a pessoa queira um sistema mais confortável de fixação da lente invertida, basta fixá-la com fita adesiva na lente do kit ou se quiser algo mais “profissional” é só adquirir um anel adaptador Rosca-Rosca obedecendo as medidas de diâmetro de cada lente. Se uma lente utiliza filtros de medida 55mm e outra 58mm por exemplo, deve-se adquirir um anel adaptador Rosca-Rosca 55-58mm.
Ele permite que cada lente seja enroscada em um dos lados tornando a fixação mais segura.

Novamente é encontrado no www.macrofotografia.com.br





Macro-Fotografia Parte II

10 11 2008

No tutorial de hoje veremos como utilizar a lente 18-55mm para Macrofotografia com um custo bastante baixo.

Reparem no exemplo a seguir…
O que há em comum nessas duas fotos?

É que ambas foram feitas com a mesma lente! A Canon 18-55mm ou Kit-lens.
Mas como é possível que uma lente seja tão versátil assim? O segredo na verdade
está na maneira como ela foi utilizada em cada caso.

Na primeira foto a lente está colocada de maneira normal na câmera, encaixada pela base no corpo da câmera sem nenhuma adaptação.
Na segunda foto a lente foi colocada na câmera de maneira invertida, ou seja, de trás pra frente com o uso de um adaptador.

Para esse tutorial vamos precisar dos elementos a seguir:

O anel inversor é o responsável por parte do “milagre” que faremos a seguir. Ele pode
ser encontrado no www.macrofotografia.com.br

Uma foto macro de grande ampliação geralmente é conseguida com o uso de uma série de elementos que somados são capazes de obter detalhes impressionantes.
No entanto tais elementos são compostos por lentes específicas, tubos extensores, tele conversores, filtros Close-Up e flashes dedicados que no final somam enorme quantidade em dinheiro.

Quando invertemos uma lente na câmera, conseguimos de imediato uma ampliação.
E ao inverter uma lente o mais interessante é que seus valores de aproximação também ficam invertidos. Significa dizer que os maiores valores de ampliação acontecem abaixo dos 50mm em uma lente que foi invertida na câmera. Isso torna a 18-55mm ideal pra isso.

Esse é o anel inversor em detalhe:

Ele possui de um lado os encaixes para o corpo da câmera e do outro uma rosca no diâmetro
do filtro da lente para que essa não corra o risco de cair durante o uso.

Aqui vemos a lente com o anel inversor já enroscado:

Mas e a tampa da lente que estava na lista? Pra quê vamos usá-la?
Quando invertemos uma lente AF dessa maneira, perdemos os contatos eletrônicos com a câmera e fica impossível controlar a abertura da lente.
Uma das características de fotografia Macro é a curta profundidade de campo, também conhecido por DOF curto. Significa na prática que temos um espaço muito restrito de foco útil.
E quanto mais ampliação se consegue, menos espaço de foco temos a disposição.

Pelo princípio fotográfico, quanto menor a quantidade de luz entrando na lente, maior será a profundidade de campo. Isso é obtido fechando-se a abertura da lente. É nessa hora que entra em ação a Tampa da lente.

Mas vamos observar com cuidado essa tampa:

Reparem que ela possui um furo pequeno no seu centro. Como a lente será invertida na câmera, é fácil perceber o tamanho da abertura que fica de luz disponível. Mas se colocarmos a tampa no seu lugar com esse pequeno furo, vamos “fechar” a entrada de luz e assim conseguir mais profundidade de campo na nossa foto!!

Esse é um exemplo de foto Macro sem a tampa na frente controlando a entrada de luz.

Apesar de seu apelo artístico, nota-se a pouquíssima quantidade de foco na foto.
Apenas em um restrito espaço da flor.

Nesse outro exemplo notamos a diferença com o uso da tampa.

Então basta colocarmos a tampa e depois encaixar o lado oposto na câmera.
Assim fica nossa câmera com a lente invertida:

Agora a hora do teste prático. Vamos fotografar esses fósforos com a nossa gambiarra!

Quando posicionamos o nosso Zoom na posição de 55mm temos esse resultado:

Essa borda escura na foto nós chamamos de “Vinheta”. Nada mais é do que a própria lente fotografada. Basta fazer um Crop na foto e nos livraremos dela. Se for o caso, um simples ajuste no zoom da lente também resolverá esse problema.

Acharam que a ampliação ficou boa?
Calma, vocês ainda não viram nada. Basta colocar a lente na posição de 18mm e…

Tudo bem… podem fechar a boca agora… hehehehehe.

Com esse tutorial foi possível ver a possibilidade de um recurso de inversão de lente.
Porém certos aspectos tem de ser levados em consideração.
A iluminação dever ser a mais clara possível, o que implica no uso de flash ou mesmo de uma forte luz natural. Em geral o ajuste de sensibilidade ISO da câmera dever se ajustado para 400 e acima. O visor fica bem escuro devido ao uso da tampa na lente o que dificulta fazer o foco na foto. Aliás esse é um dos pormenores no foco com esse sistema.
Desligue o Foco automático pois a câmera não consegue fazê-lo por causa da perda do contato eletrônico. Faça o foco aproximando e afastando a câmera do tema.
E não se impressione se o foco só aparecer muito perto do tema. É normal ficarmos com a lente a apenas alguns centímetros de um inseto por exemplo.

Mais pra frente abordaremos cada uma dessas dificuldades, desde a iluminação até
a aproximação dos insetos e controle da respiração.